31/08/2020

Saiba mais sobre quarentena

Ao longo de muito tempo, no comércio de peixes ornamentais do Brasil, muitas eram as pessoas que escolhiam atenciosamente seus peixes em uma loja e pouco tempo depois passavam pela decepção dos peixinhos morrerem. E em grande parte dos casos ainda poderia ocorrer contaminação de moradores mais antigos do aquário e infelizmente, peixes cuidados há anos com carinho e amor são perdidos para sempre também.

Se você já passou por isso e escolheu um “KinderPeixe”, pois não sabia que junto estava escolhendo uma doença, deve ter buscado ajuda com alguém e muitas vezes ouviu que era assim mesmo, ou ainda ouvia aquela terrível frase: peixes morrem mesmo! Somente o ser humano, do alto de sua irresponsável egocentria, para cunhar tal frase, afinal, essa deveria ser a função de um peixe? Morrer mesmo?

 

Peixes são animais resistentes, peixes não morrem de repente!

 O que aconteceu é que você comprou um peixe que provavelmente não passou por uma quarentena para identificar algum problema prévio e que não teve um tratamento adequado para ser comercializado.

A Kauar definitivamente não acredita que peixes simplesmente morrem e trabalha incansavelmente para que esse paradigma não perdure. Nós não nos esquivamos da responsabilidade de trabalhar com animais de forma correta, ética e responsável.

Trabalhar com animais para nós é uma escolha e por isso temos a obrigação de oferecer para eles o melhor cuidado que podemos e, quando necessário, o melhor tratamento possível. Aqui na Kauar não existem peixes mortos ou doentes nos aquários como se isso fosse normal.

Peixes mortos são um sinal de que algo de errado aconteceu ou está acontecendo e sempre são analisados para identificação da causa mortis. Ao encontrar um peixe morto, todos os animais que estavam juntos dele ficam em observação ou tratamento, pois podem ser foco de transmissão e são retirados da venda imediatamente, um peixe morto ou doente é o sinal de que existe algo de errado e que precisa de uma intervenção urgente!

Na Kauar, 100% dos peixes, desde um único Neon até uma Aruanã, passam por um processo de quarentena (específica para cada espécie), que leva em consideração a origem dos peixes (pesca ou aquacultura), espécie (sensibilidade à medicamentos) e predominância de parasitas, tanto na espécie, quanto no ambiente em que estavam.

Para isso, contamos com uma equipe especializada, experiente e treinada, processos de biossegurança que evitam uma contaminação cruzada de aquários e baterias, diversos livros e estudos acadêmicos (não existem achismos ou mitos por aqui). Nosso laboratório conta com equipamentos capazes de identificar qual o patógeno está acometendo um animal ou mesmo um grupo de animais e são ministrados diversos medicamentos apropriados para o tratamento preventivo ou curativo de cada animal acometido. Todo esse trabalho é dirigido por um veterinário especializado em organismos aquáticos.

 

Isso quer dizer então que peixe quarentenado nunca vai morrer?

É claro que não! isso não existe e se alguém algum dia garantir isso a você, no mínimo, estará sendo irresponsável. O que fazemos na Kauar é garantir que os peixes que vendemos foram cuidados de forma adequada e responsável e que nossos processos de quarentena e tratamento reduzirão enormemente a possibilidade de um patógeno oportunista aproveitar a redução da imunidade pelo estresse de um aquário novo e atacar seu peixe! Além disso, garantirá que você não estará comprando um “KinderPeixe”, que vem com surpresinha dentro!

Como base de comparação com o ser humano, se juntarmos mil pessoas em um local isolado, através do site da OMS (Organização Mundial da Saúde), você encontrará percentuais estatísticos de mortes anuais dessas mil pessoas por acometimento de doenças contagiosas e não contagiosas como ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais, causas naturais, etc... Percentuais esses, segmentados por países que possuem atendimento de saúde de qualidade (estruturas, equipamentos, acesso a medicamentos e pessoal capacitado) e aqueles que não possuem.

Se é assim com seres humanos, por que acreditar que se juntarmos mil peixes em uma loja, nada nunca vai acontecer? Acontece sim, a diferença é como lidamos com isso, se de forma responsável e ética com os animais e com os clientes, ou fingindo que nada acontece e que está tudo bem, repetindo aos quatro ventos que peixes morrem mesmo.

Existe outra frase que gostamos mais e que talvez você já tenha ouvido: peixe é procedência!