Jogo de cuias indígenas com grafismos. Peça de decoração e artesanato indígena da Amazônia.
Product ID: 931
Product SKU: 931
New In stock />
Jogo de Cuias Indígenas | Arte Indígena | Rio Negro M2

Jogo de Cuias Indígenas | Arte Indígena | Rio Negro M2

Referência: L1441
aguarde, carregando preço...
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

Jogo de Cuias Indígenas | Arte Indígena | Decoração | Artesanato 

Tamanho: Grande:  9 cm x 4 cm (G) | Média: 7,5 cm x 3 cm (M) | 5,5 cm x 2 cm (P) |   Material: Cabaça 

Jogo de cuias indígenas com grafismos. Composto por 01 cuia G, 01 cuia M e 01 cuia P. Não levar à lava-louças ou forno de microondas. Por serem peças artesanais produzidas a partir de elementos naturais, podem apresentar variação de cores, formatos e tamanhos. 

Se você chegou até aqui é porque é um apaixonado por aquarismo e pela natureza, assim como nós. Confira nossa linha de produtos. Aqui na Kauar você encontra peixes ornamentaisaquapaisagismo lifestyle. 

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Arte Indígena

A Kauar realizou uma curadoria especial de arte indígena para você. São lindos objetos de decoração e acessórios como colares e pulseiras, produzidos por comunidades indígenas e ribeirinhas das regiões do Amazonas e Pará. Artistas que encontram nos rios, peixes, aromas e cores da Amazônia a inspiração para criar. Com nossa curadoria, buscamos incentivar o reconhecimento e valorização das diversas identidades indígenas, seus talentos e saberes, contribuindo para a geração de renda na região mais importante para o aquarismo brasileiro e mundial.

Além disso, a Kauar sabe que seu amor pelo hobby e pela natureza pode ultrapassar as fronteiras de seu aquário. Então, por que não viver cercado pelo que ama? Em casa, no trabalho, ou nas ruas, leve um pouco da a paixão pelo aquarismo e pela Amazônia com você.     

 

Artesã Estela de São Miguel da Cachoeira. Foto: Sérgio Matos. 

 


Artesãs das comunidades indígenas e ribeirinhas do oeste do Pará realizam a coleta das fibras naturais de tucumã. Foto:  João Ramid